Aterosclerose da aorta abdominal: sintomas e tratamento

A aterosclerose é uma doença progressiva crônica das artérias do tipo elástico ou elástico-muscular, que consiste em “grudar” na parede interna dos vasos lipídicos, seguida pela deposição de sais de cálcio e hemocomponentes nessas protuberâncias. As alterações acima conduzem a um estreitamento do lúmen das artérias e depois à formação de trombos.

A aterosclerose da aorta abdominal leva à perda de suas propriedades elásticas. A distrofia muscular se desenvolve no vaso, que em alguns pacientes leva à formação de aneurisma.

Descrição da doença, causas e etapas

A aorta abdominal (AB) é o maior vaso do corpo humano. Começa ao nível da XII vértebra torácica e termina na região do IV - V lombar. A artéria nutre quase todos os órgãos internos (estômago, intestinos, fígado, rins, pâncreas, peritônio, baço, ovários ou testículos nos homens), o que explica a complexidade do quadro clínico com sua derrota.

Na base do processo aterosclerótico da asma está o "vazamento" da parede interna do vaso (íntima) lipídios seguidos por formação ateroma (placas). Sua ocorrência só é possível no endotélio danificado. De tempos em tempos, os crescimentos de gordura sofrem desintegração e trombose, o que causa manifestações clínicas da doença.

Lesões na parede vascular interna contribuem para:

  • hiperlipidemia crônica, dislipidemia,
  • um aumento na tensão estênica da parede vascular (o endotélio é comprimido sob o ataque de sangue em pacientes com hipertensão), especialmente nos locais de ramificação vascular,
  • hiperglicemia,
  • fumar (o alcatrão do tabaco e o monóxido de carbono aumentam a permeabilidade da parede vascular e provocam o inchaço dos tecidos),
  • a presença de imunocomplexos circulantes, a prostaciclina I2 em processos infecciosos, alérgicos ou auto-imunes,
  • violação da reologia do sangue.

Etapas de desenvolvimento de aterosclerose da aorta abdominal:

  1. Pré-clínico - o período de dislipidemia. Consiste na infiltração da parede interna do vaso com gorduras e na formação de placas (duração de 5 a 30 anos).
  2. Latente (oculta) - alterações patológicas na AB já são possíveis para detectar métodos instrumentais de pesquisa.
  3. Manifestações clínicas polimórficas - Existe uma variedade de sintomas de distúrbios dos órgãos internos.
  4. Oclusão crônica do vaso - um período de sinais clínicos brilhantes característicos desta doença.

Embora os primeiros ateromas apareçam com maior freqüência nas paredes da aorta, seu diâmetro maior adia o tempo da doença.

A natureza e tipo de sintomas dependem:

  • o nível em que ocorre a oclusão,
  • o grau de constrição do navio,
  • alterações hipóxicas nos órgãos de fornecimento de sangue.

Os sinais clínicos da aterosclerose de BA não são específicos, frequentemente têm um curso semelhante a uma onda e estão disfarçados como outras condições patológicas.

Sintomas freqüentes:

  • Dor abdominal. O sintoma tem uma gravidade diferente, sem uma certa localização (às vezes migrando), ocorre por ataques, principalmente várias horas depois de comer, está doendo por natureza, a intensidade diminui depois de tomar antiespasmódicos e pode passar por conta própria.
  • Dispepsia. Com o agravamento da isquemia intestinal, azia, náuseas, desconforto abdominal, flatulência, uma violação das fezes (com predomínio de diarreia), arrotos, juntam-se aos sintomas.
  • Malabsorção e Síndrome de Maldigestia - perda de peso, sinais de hipovitaminose, perda de apetite.
  • Função renal prejudicada - redução de diurese, hipertensão arterial refratária, desequilíbrio eletrolítico.
  • Dor nos músculos da panturrilha ao andarclaudicação intermitente, parestesia e perda de sensibilidade nas pernas, hipotrofia muscular das extremidades inferiores.
  • Disfunção erétil, distúrbios da libido, infertilidade secundária.

Muitas vezes, o diagnóstico de aterosclerose BA expor já na presença de complicações:

  • trombose dos ramos da aorta abdominal - trombose mesentérica (condição com risco de vida que requer intervenção cirúrgica imediata), bloqueio das artérias renais, bifurcação aórtica,
  • tromboembolismo do grande círculo - microinfartos de órgãos viscerais, obstrução das artérias das extremidades inferiores,
  • O aneurisma da aorta aterosclerótica é a complicação mais terrível (protrusão saciforme da parede alterada), cuja mortalidade durante a esfoliação ou ruptura é superior a 85%.

Métodos de diagnóstico da doença: que testes e exames passar

Devido à variedade de sintomas, um paciente com uma lesão aterosclerótica da aorta abdominal é freqüentemente encaminhado a um gastroenterologista ou neurologista.

As seguintes técnicas de imagem podem diagnosticar de forma confiável a doença:

  • raio-x dos órgãos abdominais - permite ver placas ateroscleróticas calcificadas em casos avançados,
  • Ultrassonografia dos órgãos abdominais e da aorta
  • dopplerografia da aorta abdominal,
  • aortoangiografia seletiva,
  • tomografia computadorizada espiral,
  • MRI com contraste.

Os estudos acima permitem estabelecer um estágio específico do processo aterosclerótico:

Grau de danoManifestações anatômicas
EuEspessamento mínimo da parede do vaso (íntima)
IIEspessamento significativo da parede do vaso (íntima)
IIIPlacas ateromatosas in situ
IVBulding atheromas
VAtheromas móveis
VIAteromas ulcerados e penetrantes

Além disso, você pode atribuir:

  • análise clínica geral de sangue e urina, parâmetros bioquímicos,
  • coagulograma,
  • estudo do perfil lipídico
  • fibrogastroesophagoduodenoscopy (FEGDS),
  • ECG, ecocardiografia, eletrocardiografia transesofágica.

Métodos modernos de tratamento de aterosclerose da aorta abdominal

As abordagens atuais para o tratamento de lesões ateroscleróticas da DA têm um foco cirúrgico. A terapia conservadora é realizada apenas em estágio pré-clínico ou em caso de contraindicação para cirurgia.

O tratamento medicamentoso é:

  • redução do colesterol - adesão estrita a uma dieta especial, tomando drogas hipolipemiantes ("atorvastatina", "rosuvastatina", "pitavastatina"),
  • tratamento de doenças associadas (doença cardíaca isquêmica, hipertensão arterial, patologias intestinais),
  • prescrever os seguintes medicamentos:
    • agentes antiplaquetários, anticoagulantes: “ASC”, “Klopidogrel”, “Dipiridamol”, heparinas de baixo peso molecular,
    • Angioprotectores: Alprostadil, Pentoxifilina,
    • anti-inflamatórios: AINEs, antiespasmódicos,
    • β-bloqueadores: "Propranolol", "Metoprolol", "Bisoprolol".
  • modificações no estilo de vida
  • atividade física dosada, terapia de exercícios, fisioterapia.

Hoje, existem muitos tipos de tratamento invasivo (cirúrgico) da aterosclerose BA.

  • Cirurgia Endovascular:
    • angioplastia percutânea por balão,
    • implante de stent endovascular de asma,
    • trombólise transcateter,
  • Cirurgia "aberta":
    • endarterectomia,
    • trombectomia aberta / embolectomia,
    • simpatectomia lombar,
    • ressecção segmentar com subsequente restauração do lúmen com a ajuda de um enxerto ou uma prótese vascular sintética,
    • desviar o desvio do local da estenose.

A eficácia da medicina tradicional: como não causar danos

O tratamento de remédios populares é ineficaz em caso de aterosclerose da aorta abdominal. Alguns resultados positivos do uso de métodos de medicina alternativa são possíveis no estágio pré-clínico da doença (até que sinais de isquemia apareçam) em combinação com dietoterapia e um estilo de vida saudável.

Como um meio adicional de combate à aterosclerose BA são usados:

  • espinheiro, erva de São João, bearberry,
  • castanha de cavalo, tomilho,
  • semente de linho, aveia,
  • viburno, buckthorn mar, noz, sementes de abóbora,
  • camomila, dente de leão, coltsfoot,
  • erva-cidreira, banana-da-terra, urze, sálvia,
  • urtiga, endro, alho, açafrão,
  • produtos de mel e abelha.

Estes produtos são utilizados sob a forma de tinturas, taxas para a preparação de decocção, extratos. Também é possível usá-los como temperos e aditivos alimentares.

Geralmente, a aterosclerose da aorta abdominal ocorre sem sinais clínicos e tem um prognóstico geralmente favorável. Estudos patológicos de longo prazo mostraram que a aorta em pessoas de meia-idade é quase sempre afetada por um processo aterosclerótico de graus variados. Em primeiro lugar, a região abdominal, sua bifurcação e as artérias renais sofrem. O diagnóstico clínico é tardio, muitas vezes indiretamente, devido ao desenvolvimento de oclusão, trombose e embolia. O perigo de dano aórtico é uma alta probabilidade de condições que ameaçam a vida: bloqueio dos vasos mesentéricos, bifurcação da aorta e do segmento ilíaco com o desenvolvimento de gangrena, bem como aneurisma.

As seguintes fontes de informação foram usadas para preparar o material.

Classificação de doença

A essência da doença, conhecida como aterosclerose da aorta da cavidade abdominal, consiste na aparência na superfície interna dos grandes "remendos" de colesterol nos vasos, com a ajuda dos quais o corpo tenta deter a destruição da íntima (membrana interna) da aorta. À medida que a doença se desenvolve, os pacientes podem desenvolver várias alterações funcionais que afetam os órgãos internos localizados no espaço retroperitoneal, os órgãos pélvicos e os membros inferiores.

A classificação clínica oficial distingue vários tipos da doença, dependendo do grau de alterações nos vasos arteriais:

  1. O primeiro estágio pré-clínico não se manifesta por nenhum sintoma, é detectado por acaso durante o diagnóstico instrumental (MRI ou CT) dos vasos de todo o corpo ou órgãos da cavidade abdominal. Além disso, o médico pode sugerir a sua presença na decifração da análise bioquímica do sangue, avaliando o nível de lipoproteína de baixa densidade. No entanto, um diagnóstico inequívoco não permite um exame de sangue, uma vez que os vasos podem estar sujeitos a alterações, e não apenas a aorta abdominal.
  2. A segunda fase latente - alterações ateroscleróticas são perceptíveis em ressonância magnética ou tomografia computadorizada, mas não há sintomas pronunciados de distúrbios no sistema circulatório e órgãos internos. A análise bioquímica do sangue mostra altas concentrações de lipoproteínas de baixa densidade.
  3. O terceiro estágio isquêmico é acompanhado por sintomas iniciais indicando suprimento de sangue insuficiente para os órgãos internos e extremidades inferiores. Nesse estágio, aneurismas aórticos abdominais podem ocorrer.
  4. O quarto estágio final com a formação de oclusão arterial (estreitamento do lúmen da artéria em um grau limitado) e tróficas mudanças dos órgãos para os quais o sangue flui, contornando a aorta abdominal. Esta fase é acompanhada por sintomas graves e numerosas disfunções irreversíveis dos órgãos internos.

Segundo a localização do sítio no qual os depósitos de colesterol principais se localizam, a aterosclerose da aorta abdominal divide-se em três tipos:

  1. Baixa oclusão - estreitamento patológico da artéria abdominal está localizado na área da sua divisão e a transição para os ramos ilíacos.
  2. Oclusão média - a área estreitada localiza-se na aorta abdominal proximal.
  3. Alta oclusão - estreitamento da área é observado abaixo dos ramos das artérias renais.

Para cada forma e variedade de aterosclerose da aorta abdominal, certos sintomas e alterações específicas nas funções dos órgãos internos são característicos, portanto, é importante esclarecer a classificação da patologia no diagnóstico.

Características da doença

A aorta é a maior área do sistema circulatório, fornecendo aos órgãos vitais a quantidade necessária de fluido, oxigênio e nutrientes. Como seu diâmetro interno é grande o suficiente, é necessário mais tempo para a progressão da aterosclerose da aorta abdominal do que para o desenvolvimento de outras doenças vasculares. Portanto, em 95% dos casos, a patologia é diagnosticada em pessoas profundamente idosas.

Ao contrário das alterações ateroscleróticas da cabeça, membros inferiores e coração, a deposição de lipoproteínas nas paredes da aorta abdominal e das artérias ilíacas não é acompanhada de sinais clínicos típicos que indiquem claramente o aparecimento da aterosclerose.

A sintomatologia da doença é frequentemente apagada e não causa suspeita de anomalias vasculares.

Na maioria dos casos, a aterosclerose desta área do sistema circulatório é acompanhada por dor abdominal. Eles são frequentemente confundidos com sintomas de doenças gastrointestinais, por causa dos quais a aterosclerose da aorta abdominal não é tratada e progride ainda mais.

Os sintomas da aterosclerose aórtica

Na aterosclerose da aorta abdominal, os sintomas dependem da área em que o corpo principal dos depósitos de colesterol está localizado. Em qualquer caso, a patologia será refletida no trabalho do intestino, o que causará:

  • dor incômoda no estômago que ocorre durante uma refeição, bem como durante o estresse físico ou emocional,
  • formação de gases, roncos no abdome, fezes anormais, que provocam uma desaceleração do peristaltismo e os processos putrefativos resultantes no intestino,
  • perda de peso devido à deterioração do trato digestivo.

Se as alterações ateroscleróticas estão localizadas na área de bifurcação (bifurcação da aorta abdominal), há um sintoma ligeiramente diferente, no qual quase todos os órgãos do espaço retroperitoneal e da pequena pelve estão envolvidos.

Além dos distúrbios digestivos, os pacientes experimentam:

  • deterioração da função erétil
  • dessensibilização das pernas
  • mancar
  • o desenvolvimento de gangrena das extremidades inferiores.

Com a formação de calcificações nas paredes da artéria em pacientes há um inchaço acentuado das pernas. Ao mesmo tempo, apesar do rápido progresso e aumento dos sintomas, a aterosclerose da cavidade abdominal pode ser negligenciada devido à similaridade do quadro clínico com as patologias renais.

Tratamento e Prevenção


A doença é considerada incurável, portanto, com aterosclerose aórtica, o tratamento continua ao longo da vida. A eliminação dos sintomas é uma parte importante, mas não a mais importante, do tratamento da aterosclerose da aorta abdominal. Muito mais importantes são as medidas para reduzir o nível de lipídios prejudiciais no sangue, restaurando a nutrição de órgãos e tecidos afetados por processos patológicos. Se você trouxer esses indicadores de volta ao normal, os sintomas desaparecerão. No entanto, seu completo desaparecimento não pode ser alcançado mesmo com intervenção radical.

Recomendações gerais para pacientes

Na aterosclerose de todos os vasos sanguíneos, a adesão a um estilo de vida saudável e a compreensão da situação pelo paciente desempenham um papel de liderança. Infelizmente, a rejeição da doença na velhice acontece com bastante frequência. Portanto, é importante que o médico informe o paciente sobre a necessidade de cumprir as seguintes medidas:

  1. Mudar o estilo de vida de forma mais relaxada e medida, sem estresse e esforço físico excessivo. Tais fenômenos podem levar a flutuações na pressão sanguínea, o que é perigoso na aterosclerose.
  2. Mudança na dieta. Exclusão do menu de gorduras animais, açúcares, carboidratos leves e produtos refinados, álcool. Aumentar a quantidade de legumes e frutas frescas, cereais, carne branca e peixe dietético, óleos vegetais. Tal nutrição reduzirá a taxa de aumento de placas ateroscleróticas.
  3. Rejeição de maus hábitos.Álcool, tabagismo, hipodinamia levam à destruição das paredes vasculares, o que provoca

a ocorrência de placas de colesterol sobre eles. Portanto, após o diagnóstico, é importante excluir esses fatores da vida.
Considerações gerais são importantes em qualquer estágio da doença. Nos estágios pré-clínico e latente, a adesão a eles ajudará a evitar a progressão da doença. Nos estágios isquêmicos e terminais, eles ajudarão a adiar a catástrofe vascular ou evitá-la completamente.

As principais medidas terapêuticas para as lesões das lipoproteínas de baixa densidade (LDL) da aorta abdominal são realizadas de forma conservadora, ou seja, com o uso de um complexo de drogas. Inclui vários grupos de drogas:

  • sequestrantes de ácido cólico (Kolestipol, Kolekstran, colestiramina e outros) - para normalizar o nível de LDL no sangue, reduzindo a síntese destas substâncias no fígado,
  • fibratos (Tsifrofibrat, Clofibrate e outros) - preparaes para a regulao do metabolismo lipico e a normalizao do nel de lidos no soro sangueo, fortalecendo as paredes da aorta e melhorando a microcirculao,
  • estatinas (atorvastatina, sinvastatina, fluvastatina e outras) - drogas para a normalização do metabolismo da gordura no corpo e soro devido à supressão de certas enzimas,
  • agentes antiplaquetários (Aspirina Cardio, Bunda Trombótica, Aspicore e outros) - anticoagulantes e circulação microbiana;
  • Inibidores da ECA (Enalapril, Lisinopril, etc.) - drogas. Permitindo regular a pressão sanguínea e mantê-la dentro da norma.

Além disso, o uso de preparações complexas de vitaminas, incluindo substâncias que afetam a estabilidade dos vasos sanguíneos para a influência de fatores negativos.

Métodos cirúrgicos

Se o tratamento das manifestações e sintomas de distúrbios da condução aórtica com medicamentos não levar a resultados positivos, o tratamento cirúrgico é utilizado. Como o diâmetro da aorta é muito grande para a instalação do stent, com a sua derrota apenas a cirurgia abdominal é utilizada, durante a qual a área afetada da aorta é removida e substituída por uma prótese.

A intervenção cirúrgica é realizada apenas em caso de alto risco de bloqueio da aorta ou sua destruição (ruptura do aneurisma).

Prevenção

É impossível eliminar completamente o risco de aterosclerose, de modo que medidas preventivas visam a detecção precoce de alterações ateroscleróticas. Para este fim, recomenda-se doar sangue para colesterol e glicose a partir dos 40 anos, para controlar a pressão arterial. Com mais de 55 anos, esses testes devem ser realizados com maior frequência - uma vez a cada seis meses.


Quando uma doença é detectada nos estágios iniciais (pré-clínica e latente), a probabilidade de ocorrência de formas avançadas de aterosclerose, exigindo tratamento cirúrgico, é reduzida a um mínimo. Uma boa dieta sem colesterol, atividade física moderada e evitar maus hábitos serão uma boa ajuda no combate aos depósitos ateroscleróticos existentes.

Complicações possíveis

A aterosclerose da aorta, localizada no abdômen, é perigosa com muitas complicações. Os mais comuns estão associados ao bloqueio total da aorta ou sua ruptura. Tais situações terminam em morte em 90% dos casos. Outras complicações também representam uma ameaça mortal:

  • gangrena do pé,
  • angina
  • cardiosclerose
  • um acidente vascular cerebral
  • ataque cardíaco.

Quando aparecem na velhice, tais condições geralmente resultam em morte ou perda completa da autonomia do paciente. É possível predizer sua aparência com base no quadro clínico e nos resultados de pesquisas instrumentais e laboratoriais. Para reduzir a probabilidade de risco só é possível no caso do uso de tratamento complexo e conformidade com todas as recomendações do médico assistente.

O que é característico da aterosclerose da aorta abdominal?

A natureza dessa patologia reside no fato de que no corpo há uma violação no metabolismo lipídico, o que leva à deposição de excesso de lipoproteínas nas membranas arteriais internas e na aorta. A formação de placas ateroscleróticas está associada a altos níveis de colesterol no sangue.

Com o tempo, as placas superam os íons de cálcio e se tornam duras. Na aterosclerose da aorta abdominal, ocorre uma perda de elasticidade das membranas da aorta.

A doença é caracterizada por uma violação do metabolismo lipídico, que leva à deposição de colesterol nas paredes dos vasos sanguíneos.

Depois de um tempo, eles calcinam, bloqueiam o lúmen e levam à deterioração do fluxo sangüíneo. A aterosclerose da aorta abdominal é caracterizada por uma diminuição na elasticidade das paredes vasculares.

A aorta é a maior via do corpo humano.

Está dividido em vários departamentos:

  • O início do sistema de fluxo sanguíneo é a parte torácica da aorta. Desta parte da aorta, a parte superior do corpo da pessoa recebe sangue. Estas são as artérias carótidas e braquiocefálicas que fornecem nutrição às células cerebrais. Também da parte direita da aorta, há uma grande artéria que atravessa a cavidade abdominal e alimenta todos os órgãos do peritônio com sangue,
  • A parte inferior da via central é dividida em artéria abdominal e duas artérias ilíacas principais.

95,0% de todos os tipos de aterosclerose são diagnosticados especificamente na aorta. A oclusão da aorta abdominal com placas ateroscleróticas causa isquemia dos órgãos peritoneais e da pequena pelve.

O início do sistema de fluxo sanguíneo é a aorta torácica.

Causas da aterosclerose da aorta abdominal

A formação de depósitos ateroscleróticos ocorre quando o metabolismo lipídico é perturbado, quando as lipoproteínas de baixo peso molecular predominam no sangue e existem muitas moléculas de colesterol livre na corrente sanguínea.

Isto leva à adesão de pontos gordurosos nas paredes da aorta.

A patologia pode progredir muito rapidamente devido à alta concentração de colesterol. Quando uma placa aterosclerótica cobre a luz aórtica em 70,0% ou mais, a isquemia do órgão cardíaco começa a se manifestar.

As causas do desenvolvimento da aterosclerose do sistema de circulação sanguínea, incluindo a patologia da aorta, são:

  • Hipercolesterolemia patologia hereditária genética,
  • Total falta de atividade física e estresse,
  • Patologia dos órgãos endócrinos,
  • Obesidade com excesso de peso
  • Invasão de agentes infecciosos
  • Dependência de álcool e fumo
  • Dieta inadequada e comer grandes quantidades de gordura animal,
  • O grau de sobrecarga crônica do sistema nervoso.

Qualquer uma dessas causas pode desencadear uma perturbação no metabolismo lipídico, o que leva à aterosclerose.

Ramos abdominais

Classificação de patologia

Na medicina, a oclusão é dividida em 3 graus de obstrução da luz aórtica.

De acordo com essa classificação, o grau de isquemia orgânica é diagnosticado:

  • Baixo grau de oclusão. Manifestação da bifurcação abdominal aórtica,
  • O grau médio de oclusão. O bloqueio da luz aórtica ocorre no nível máximo
  • Oclusão aórtica grave quando placas ateroscleróticas calcificadas se sobrepõem ao lúmen abaixo da região da artéria renal.

Nos centros de diagnóstico, há uma classificação de aterosclerose aórtica abdominal de acordo com Fontaine.

Divide a patologia em 4 estágios de seu desenvolvimento:

  • Estágio pré-clínico de desenvolvimento. Patologia é assintomática. Ao examinar métodos instrumentais, a aterosclerose não é observada. A quantidade de lipoproteínas no sangue não excede os valores padrão. Com uma análise detalhada bioquímica da composição do sangue, um aumento nas moléculas de LDL e sinais de hipercolesterolemia são detectados. É necessário prevenir o desenvolvimento da aterosclerose, corrigir a comida e envolver-se na prevenção da redução de colesterol,
  • O estágio latente da aterosclerose. Com o diagnóstico instrumental, o grau de mudança na membrana aórtica é visível. Quando há uma mudança no metabolismo lipídico e patologias no sistema de fluxo sanguíneo, o paciente é diagnosticado com aterosclerose da aorta abdominal,
  • Estágio de sinais não específicos de manifestação. O paciente sente isquemia dos órgãos abdominais durante o sono. Identificar a aterosclerose pode ser um diagnóstico instrumental,
  • Manifestação do estágio do grau crônico de oclusão aórtica e sinais tróficos na pele. Isquemia das paredes da aorta e órgãos do peritônio ocorre e distúrbios fibrosos ocorrem nas células dos tecidos dos órgãos.

Etapas da aterosclerose

Complicações do desenvolvimento de aterosclerose da aorta abdominal

Além do desenvolvimento de trombose nas artérias principais, a aterosclerose do peritônio da aorta pode desenvolver insuficiência renal.

A forma complicada de aterosclerose passa por vários estágios de desenvolvimento e, a cada estágio, com tratamento oportuno, não podem ser alcançados resultados ruins:

  • Isquemia de primeiro grau. Manifestação da patologia com claudicação, dor na cavidade abdominal, às vezes há manifestações de angina pectoris,
  • Grau de Trombonekrotichesky de aterosclerose. A patologia chega a um estágio crônico do curso e muitas vezes devido à trombose, complicações como gangrena do membro afetado, ataque cardíaco do órgão cardíaco, derrame cerebral,
  • O último estágio do desenvolvimento da aterosclerose complicada da aorta abdominal é fibroso. Nesta etapa há uma ameaça do desenvolvimento de cardiosclerosis, bem como aneurisma aórtico. 90,0% da ruptura de um aneurisma da aorta é fatal.

Sintomas de aterosclerose da aorta abdominal

Em 95% dos pacientes, a aterosclerose se manifesta como dor moderada no peritônio ou dor intensa. A localização da dor pode estar em diferentes partes da cavidade abdominal.

Os sintomas da atherocalcinosis podem ser:

  • Dor no trato digestivo no momento da ingestão de alimentos. Esse sintoma ocorre devido à falta de sangue nos órgãos digestivos,
  • Interrupção no funcionamento de todas as partes do intestino,
  • Perda de peso.

Com tais sintomas, é necessário consultar imediatamente um médico para receber tratamento qualificado. Você não pode se auto-medicar e prender a dor com a ajuda de analgésicos.

Em caso de diagnóstico tardio, você pode perder o precioso tratamento da patologia nos estágios iniciais da terapia. A intensidade dos sintomas dolorosos é compatível com o estágio da aterosclerose.

Em um tipo de aterosclerose não-estenótica da aorta da região abdominal, uma alteração na membrana aórtica é observada.

O paciente experimenta os seguintes sintomas:

  • Circulando na cabeça,
  • Ruído no órgão auditivo,
  • Fraqueza dos membros inferiores,
  • Dormência na perna afetada.

Diagnóstico

Para iniciar o processo terapêutico de eliminação de depósitos ateroscleróticos na aorta, é necessário estabelecer um diagnóstico para o método correto de tratamento.

Se sintomas graves do distúrbio se manifestarem no trato digestivo, então o paciente deve consultar um gastroenterologista para um exame abrangente do corpo para o desenvolvimento da aterosclerose aórtica na seção abdominal.

Na maioria dos casos, para o diagnóstico, é necessário passar por testes laboratoriais de composição sangüínea e passar por um estudo instrumental de patologia.

Para testes clínicos laboratoriais, é necessário doar sangue para:

  • Análise geral do sangue,
  • Teste de coagulação do plasma sanguíneo,
  • Análises bioquímicas para colesterol,
  • Análise avançada do espectro lipídico.

O diagnóstico instrumental consiste nos seguintes métodos da pesquisa do organismo:

  • Ultrassonografia (exame ultra-sonográfico) da cavidade abdominal,
  • Método de gastroscopia
  • Técnica angiográfica de Aorto
  • Varredura duplex ou triplex das principais artérias e aorta da cavidade abdominal,
  • Angiografia da aorta e seus ramos.

Estes estudos instrumentais nos permitem identificar a patologia da aterosclerose no estágio inicial de desenvolvimento dos depósitos de colesterol.

O paciente deve consultar um gastroenterologista.

Tratamento da esclerose da aorta abdominal

Para tratar a aterosclerose aórtica na região abdominal, é necessário compreender de forma abrangente. No processo de prescrever a terapia, você precisa levar em conta a idade do paciente, seu gênero, as causas do desenvolvimento da patologia e o grau de sua progressão.

O tratamento começa com uma diminuição no índice de colesterol no sangue:

  • Não coma comida de colesterol,
  • Desistir de maus hábitos
  • Use drogas baseadas na medicina tradicional,
  • Aplicar no tratamento de drogas.

A terapia medicamentosa consiste nos seguintes grupos farmacológicos de drogas:

  • Um grupo de estatinas reduz a síntese de moléculas de colesterol pelas células do fígado,
  • Propriedades antiplaquetárias de drogas para diluir o plasma sanguíneo,
  • Um grupo de drogas fibradas reduz a produção de lipídios de baixa densidade,
  • Vitamina antioxidante b,
  • Drogas antagonistas do cálcio.

Terapia medicamentosa

Tratamento com medicina tradicional

O tratamento da esclerose da aorta na região abdominal com drogas baseadas nas receitas dos curandeiros tradicionais pode ser usado como terapia adjuvante para métodos médicos básicos e somente com a permissão do médico assistente.

Para o tratamento é necessário usar tais ervas medicinais, fábricas e preparações medicinais preparadas na sua base:

  • É necessário usar plantas que reduzem o índice de colesterol no sangue. Para fazer isso, você deve usar tinturas alcoólicas com base em alho e cevada, assim como decocções de sementes de linho e cardo de leite,
  • É necessário usar no tratamento de plantas que têm as propriedades de diluir o plasma do sangue. Folhas de morango e framboesa, brotos verdes de espinheiro e chokeberry, folhas e flores de visco tem essas propriedades. Caldos com base neles ajudarão a evitar a formação de coágulos sanguíneos na cama.

Nutrição dietética na aterosclerose da aorta abdominal

Ao tratar patologias associadas ao colesterol elevado, é necessário incluir uma dieta anti-colesterol, que ajuda os medicamentos a reduzir os lipídios no sangue.

A essência da dieta é que é necessário limitar o uso de produtos animais que são fornecedores de colesterol no corpo a partir do exterior.

Gorduras animais, você precisa mudar para óleos vegetais. Se possível, minimize o consumo de carboidratos e abandone completamente o açúcar.

O sal não consome mais de 2,0 gramas por dia.

Para comer 5 6 vezes ao dia. A quantidade máxima de alimentos na dieta deve ser legumes e frutas. Digite na dieta de peixes marinhos (até 4 vezes por semana) e carne não variedades gordurosas (frango, peru).

Vídeo: Sintomas e causas do aneurisma da aorta abdominal

Depende da gravidade da patologia e do tratamento corretamente escolhido. Também depende muito do paciente, na medida em que ele cumpre as recomendações do médico.

Com a abordagem terapêutica correta da terapia complexa, o prognóstico é mais favorável. Sem tratamento, a aterosclerose da aorta abdominal progride rapidamente e leva à morte.

Aterosclerose da aorta abdominal - o que é isso?

A doença é caracterizada por uma violação do metabolismo lipídico, o que leva à deposição de placas nas paredes dos vasos sanguíneos colesterol. Depois de um tempo, eles calcinam, bloqueiam o lúmen e levam à deterioração do fluxo sangüíneo. A aterosclerose da aorta abdominal é caracterizada por uma diminuição na elasticidade das paredes vasculares.

Aorta - o maior vaso do corpo humano, dividido em duas partes: o peito e o abdominal. O diâmetro do vaso é muito grande, portanto a aterosclerose da aorta abdominal é diagnosticada em 95% dos casos em pacientes idosos.

A oclusão vascular é acompanhada de isquemia, que permite detectar sinais de doença durante o diagnóstico.

Causas da doença

Placas ateroscleróticas calcificadas da aorta abdominal aparecem devido a problemas com o metabolismo da gordura. Em vez de lipoproteínas de alta densidade, o sangue é preenchido com substâncias de baixa densidade. Isso se torna a principal causa de placa nas paredes dos vasos sanguíneos. Assim que o lúmen da aorta se sobrepõe em 70%, a doença cardíaca isquêmica se desenvolve.

As principais razões para o aparecimento de aterosclerose dos vasos abdominais incluem:

  • Predisposição genética
  • Falta de esforço físico
  • Doenças endócrinas,
  • Obesidade
  • Doenças infecciosas
  • A presença de maus hábitos
  • Consumo excessivo de alimentos gordurosos
  • Estirpe do nervo crônico.

Qualquer um destes pode provocar uma forte violação do metabolismo das gorduras, o que levará à aterosclerose da aorta abdominal. Se o vaso estiver completamente bloqueado, os órgãos morrerão e o paciente morrerá.

Complicações da doença

Aproximadamente 95% dos pacientes não sabem quais complicações surgem na aterosclerose da aorta abdominal, se não para diagnosticar a tempo.

Com um forte bloqueio do vaso, desenvolve inflamação dos órgãos abdominais. A condição do paciente está se deteriorando acentuadamente, a intensidade da dor aumenta.

Se a hospitalização for adiada, a gangrena das extremidades inferiores pode se desenvolver, levando à morte. As menos perigosas para complicações na vida humana incluem acidentes vasculares cerebrais, insuficiência renal e isquemia renal.

Sintomas da doença

Em 95% dos casos, a doença se manifesta com dor moderada e intensa. Pode ser localizado em diferentes partes da cavidade abdominal.

Também os sintomas da aterosclerose da aorta abdominal incluem:

  • Dor durante as refeições devido a insuficiência circulatória,
  • Problemas intestinais,
  • Peso corporal reduzido.

Defina os sintomas da aterosclerose da aorta abdominal e o tratamento só pode ser obtido no hospital. Não é recomendado o autodiagnóstico e tentar livrar-se das manifestações da doença com a ajuda de analgésicos e estimulando as drogas do trato gastrointestinal, porque Isso complicará o diagnóstico de obstrução vascular.

A aterosclerose não-estenosante da aorta abdominal é caracterizada por uma alteração na parede vascular. Tradicional na forma usual da dor da doença não é evidente. Em vez disso, o paciente experimenta fraqueza e dormência nos membros, zumbido. A tontura está aumentando. Em vários pacientes, a doença se manifesta por uma diminuição na velocidade do fluxo sanguíneo sem manifestações físicas.

Formas de tratar a doença

O tratamento da aterosclerose da aorta abdominal é complexo. O médico leva em consideração a condição do paciente, a idade, a gravidade dos sintomas e o grau de progressão da doença. O auto-tratamento de remédios populares para aterosclerose da aorta abdominal não é recomendado, porque eles podem levar a alergias.

A terapia medicamentosa é realizada com os seguintes medicamentos:

  • Estatinas que reduzem a produção de colesterol natural
  • Desinfetantes que diluem o sangue,
  • Vitaminas do complexo B que têm um efeito antioxidante no corpo,
  • Fibratos que reduzem a produção de lipídios
  • Antagonistas do cálcio, vasos dilatadores.

Dieta para aterosclerose da aorta abdominal implica a completa eliminação de alimentos gordurosos no momento da exacerbação da doença. Uma vez que melhorias foram feitas na condição do paciente, as gorduras animais podem ser adicionadas à dieta.

Os pacientes são aconselhados a limpar o peso corporal, realizar ginástica diária. Também na luta contra a aterosclerose ajudará a longas caminhadas.

Para a prevenção da doença, recomenda-se comer mais alho, tomar tintura de espinheiro, bagas de cinzas de montanha. Com uma tendência hereditária ao bloqueio de vasos sanguíneos, o sangue deve ser doado uma vez por ano para determinar o espectro lipídico e monitorar o excesso de peso.

Tendo aprendido que é a aterosclerose da aorta da cavidade abdominal e como tratar a doença, qualquer paciente será capaz de levar uma vida plena.

O que é aterosclerose da aorta abdominal

A aterosclerose aórtica é uma lesão do endotélio do vaso principal da cavidade abdominal. Aorta consiste em duas partes principais - torácica e abdominal.

Inferior (abdominal - BOA) o departamento fornece os ramos que suprem a maioria dos órgãos internos da pélvis grande e pequena - os rins, o fígado, as alças dos intestinos delgado e grosso, o baço, a pele. A derrota da artéria desse calibre pode levar a múltiplas falhas no trabalho de vários sistemas do corpo.

O passo inicial no mecanismo do desenvolvimento da doença torna-se um aumento duradouro do colesterol livre no sangue periférico. Especialmente - sua fração perigosa (LDL e VLDL). Em seguida, essas lipoproteínas são depositadas em locais com endotélio fraco. Após o lipídio encharcar esses focos, ocorre um processo inflamatório local. Como resultado, a formação de células espumosas. São macrófagos que não completaram a fagocitose dos depósitos e o colesterol se infiltrou no endotélio.

Em tal foco, grandes células e moléculas de sangue se acumulam, uma placa aterosclerótica começa a se formar nas paredes da aorta. Em conseqüência, é impregnado com íons de cálcio, torna-se denso e calcificado. Tal protusão não só prejudica o próprio vaso, reduzindo sua elasticidade e tônus, mas também causa circulação sanguínea prejudicada devido à estenose. Massas trombóticas e outras grandes estruturas do sangue periférico podem ficar presas no local da constrição. Os sintomas da isquemia ocorrem, o risco de desenvolver aneurismas, ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais aumenta.

Como a doença se manifesta

Com a progressão da aterosclerose dos vasos abdominais, os seguintes locais e sintomas comuns:

  • Desconforto na área abdominal.
  • Dor frequente no trato gastrointestinal, especialmente após as refeições.
  • Dispepsia, indigestão e distúrbios de motilidade - diarréia e retenção de fezes.
  • Azia depois de comer pode náusea.
  • Em torno do umbigo e no lado esquerdo do abdômen há aumento da pulsação.
  • Diminuição gradual do peso corporal.

Com o desenvolvimento das próximas etapas da aterosclerose da aorta abdominal, elas se destacam e novos sinais. Eles não são específicos e exigem um exame mais detalhado.

  • Os pacientes começam a sofrer de inchaço nos braços e pernas, especialmente pela manhã.
  • Possível inchaço do rosto.
  • Diurese violada - micção menos frequentemente, difícil. Isto é devido a uma complicação - insuficiência renal.

Nesta fase da aterosclerose, é muito pronunciado - tanto na análise bioquímica do sangue e na análise da urina. No entanto, alguns dos sintomas característicos podem ser mascarados por outra doença - a hipertensão. É muito importante diferenciar essas doenças e fazer o diagnóstico correto no tempo.

O auto-tratamento é excluído - se alguma das queixas listadas aparecer, você deverá contatar imediatamente um especialista especializado.

Muitas vezes, um foco aterosclerótico na aorta abdominal é acompanhado por formação de aneurisma - protrusão vascular. Esse processo é repleto de complicações muito difíceis, às vezes até letais, que, como as estatísticas mostram, não são de todo incomuns. As paredes de um vaso sanguíneo com um aneurisma ficam mais finas, e a pressão nele aumenta constantemente. Tudo isso cria as condições para uma possível ruptura e hemorragia maciça na cavidade abdominal.

Causas da patologia

Acredita-se que a aterosclerose da aorta abdominal seja uma patologia, ocorrendo principalmente em idosos acima dos 55-60 anos de idade. Mas estudos modernos mostram que isso está longe de ser o caso, e a aterosclerose aórtica também pode se manifestar em uma idade jovem.

O risco de ocorrência dessa patologia vascular é individual para todos e depende da presença de fatores de risco que levam ao desenvolvimento de um processo aterosclerótico.

Considere o mais básico e comum:

  • Hábitos nocivos - tabagismo e abuso de álcool.
  • Hipodinamia, estilo de vida sedentário, uma pequena quantidade de cargas físicas e esportivas.
  • Nutrição prejudicial, desequilibrada - uma abundância de frito, defumado, salgado, picante.
  • Condições estressantes freqüentes, o modo errado, excesso de trabalho.
  • A presença de doenças de base que podem atuar como fatores que contribuem para o desenvolvimento da aterosclerose - hipertensão (uma condição na qual a pressão arterial sistólica é elevada para números estáveis ​​acima de 140 mmHg), diabetes mellitus, hipertireoidismo
  • Violações do metabolismo de lipídios e proteínas, resultando no aumento da produção de colesterol no sangue.

Como tratar a aterosclerose da aorta abdominal

Como curar a aterosclerose dos vasos abdominais? Em primeiro lugar, a terapia deve ser abrangente e abrangente, como no caso da aterosclerose em qualquer outro local. Deve incluir medicamentos, uma abordagem clínica geral com modificação do estilo de vida e nutrição, tratamento com remédios populares e, se necessário, intervenção cirúrgica.

A dieta para aterosclerose consiste em uma grande quantidade de frutas frescas, produtos de peixe com baixo teor de gordura e fibras. Limite alimentos fritos, defumados, picantes e salgados. Preferência é dada a três outros métodos de cozimento - cozido no vapor, cozido e cozido. Assim, os produtos retêm vitaminas benéficas e oligoelementos sem ganhar muitos lipídios de origem animal.

O estilo de vida deve ser ativo, com esforço físico diário. Exercícios matinais, terapia de exercícios, caminhada dosada, massagem serão úteis. Deve abandonar maus hábitos, tentar evitar situações estressantes.

O tratamento medicamentoso também é selecionado individualmente, de acordo com estudos laboratoriais e instrumentais. O mais popular em consultas médicas drogas dos grupos de fibratos e estatinas. O primeiro grupo de drogas - fibratos - inclui Lipantil 200, Gemfibrozil, Fenofibrat, Taikor. O grupo de estatinas inclui drogas de quatro gerações - de Atorvastatin, a Krestor, Livazo, Sinvastatin e Rosuvastatin. O último deles tem efeitos antiinflamatórios, portanto, não apenas reduzindo o nível de colesterol prejudicial, mas também restaurando vasos danificados.

Previsão de vida e possíveis complicações

É muito mais fácil prevenir o desenvolvimento da aterosclerose da parte abdominal do tronco aórtico do que tratá-lo. Portanto, é importante monitorar sua dieta, evitar maus hábitos e situações estressantes, levar um estilo de vida saudável e ativo - esta é a prevenção mais importante. Se houver comorbidades incluídas na lista de fatores de risco para aterosclerose, deve-se prestar atenção ao seu tratamento. Se você aderir às recomendações do médico assistente e ajustar o estilo de vida - você pode viver com a doença sem quaisquer manifestações e problemas especiais.

A aterosclerose do tronco aórtico abdominal é uma doença grave com taxas rápidas de progressão. No entanto, se você reconhecer a doença a tempo e iniciar o tratamento, poderá evitar suas complicações e manifestações graves. Quando as primeiras queixas, semelhantes às da aterosclerose, devem entrar em contato imediatamente com o seu médico.

Assista ao vídeo: Saúde - Aneurisma da Aorta: sintomas, causas e tratamento (Outubro 2019).

Loading...